SEJA UM DOS NOSSOS AMIGOS, NESTA CORRENTE DO BEM.

sexta-feira

PORQUE O ESPÍRITISMO CONTAMINA?

VI ESTE DIALOGO NO YAHOO RESPOSTA E ACHEI INCRIVELMENTE LÚCIDA A RESPOSTA DO NOSSO IRMÃO WANDERLEI PEREIRA, PARABÉNS, VEJAM OS TEXTOS A BAIXO.



Porque ler livros espiritas deixa a pessoa contaminada?

Sou católica e meu marido espírita, sofro muito com isso pq falam que se tiver livros espíritas dentro de casa, a casa fica contaminada, e aqui em casa tem muitos que meu marido compra, mais será que isso é muito grave mesmo? o que devo fazer? sempre o deixo a vontade porque ele acha que está certo e não posso criar atritos por causa de religião.
Atualização : Ha lembrando que eu li dois livros espíritas, e achei um horror, eu sentia uma coisa estranha em minhas costas e tambem sentia nojo de minhas mãos parecia que os livros estavam sujos e não é imaginçao minha não gente era real mesmo.
Resposta:
Realmente, os livros espíritas deixam as pessoas contaminadas por idéias capazes de provocar uma transformação moral irreversível.
Um conselho: se você tem medo de se tornar espírita, não leia livros espíritas. Eu mesmo fui católico desde criancinha, mas caí na esparrela de começar a ler livros de Allan Kardec, André Luiz, Léon Denis, Emmanuel, Joanna de Angelis e Ramatís, e me tornei espírita há mais de 40 anos, e não tenho como sair dessa, porque, na verdade, não quero sair.

Veja o que disse o espírito Ermance Dufaux: "Espiritismo na cabeça é informação, no coração é transformação."

Observação: Ermance Dufaux, viveu na França, psicografou "A História de Joanna D'Arc", e foi uma das médiuns que recebeu as mensagens ditadas pelos Espíritos Superiores, para que Allan Kardec codificasse a doutrina espírita.

Veja o perigo que seu marido está correndo por ser espírita:

"Ser espírita não é ser nenhum religioso; é ser cristão. Não é ostentar uma crença; é vivenciar a fé sincera. Não é ter uma religião especial; é deter uma grave responsabilidade. Não é superar o próximo; é superar a si mesmo. Não é construir templos de pedra; é transformar o coração em templo eterno.

Ser espírita não é apenas aceitar a reencarnação; é compreendê-la como manifestação da Justiça Divina e caminho natural para a perfeição. Não é só comunicar-se com os Espíritos, porque todos indistintamente se comunicam, mesmo sem o saber; é comunicar-se com os bons Espíritos para se melhorar e ajudar os outros a se melhorarem também.

Ser espírita não é apenas consumir as obras espíritas para obter conhecimento e cultura; é transformar os livros, suas mensagens, em lições vivas para a própria mudança. Ser sem vivenciar é o mesmo que dizer sem fazer.

Ser espírita não é internar-se no Centro Espírita, fugindo do mundo para não ser tentado; é conviver com todas as situações lá fora, sem alterar-se como espírita, como cristão. O espírita consciente é espírita no templo, em casa, na rua, no trânsito, na fila, ao telefone, sozinho ou no meio da multidão, na alegria e na dor, na saúde e na doença.

Ser espírita não é ser diferente; é ser exatamente igual a todos, porque todos são iguais perante Deus. Não é mostrar-se que é bom; é provar a si próprio que se esforça para ser bom, porque ser bom deve ser um estado normal do homem consciente. Anormal é não ser bom.

Ser espírita não é curar ninguém; é contribuir para que alguém trabalhe a sua própria cura. Não é tornar o doente um dependente dos supostos poderes dos outros; é ensinar-lhe a confiar nos poderes de Deus e nos seus próprios poderes que estão na sua vontade sincera e perseverante.

Ser espírita não é consolar-se em receber; é confortar-se em dar, porque pelas leis naturais da vida; é mais bem aventurado dar do que receber. Não é esperar que Deus desça até onde nós estamos; é subir ao encontro de Deus, elevando-se moralmente e esforçando-se para melhorar sempre.

Isto é ser espírita.
Com as bênçãos de Jesus, nosso Mestre."
(Wanderley Pereira)


Pense nisso! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

POR FAVOR, ANÔNIMOS NÃO.
IDENTIFIQUE-SE.